domingo, 5 de julho de 2020

Obrigado, Bolsonaro.


Obrigado, Bolsonaro.

Encontro marcado.



Olá, meu nome é Coronavírus.

Alguns me chamam de Covid-19, outros de Corona, Coronga e uma infinidade de nomes. Há até os que debocham de mim, dizendo que eu não existo.

Não tem problema, quanto mais me ignoram, acreditando que eu sou inofensivo, melhor. Mais eu grudo. Até o fim final. Da vítima, é claro.

Na verdade, vou confessar uma coisa, adoro terraplanistas, negacionistas e todos os idiotas semelhantes, que negam a Ciência e o Conhecimento.

Na realidade, me alimento de imbecis e variações de obtusos, eles são meus maiores fãs. Pois fã sempre dá a maior força para seu ídolo, não é mesmo?

Mas vamos direto ao assunto.

Hoje vim aqui para fazer um reconhecimento público a Jair Bolsonaro.

Obrigado, Bolsonaro!

Sem você, eu não teria como me espalhar em todo o Brasil. E olha que são milhares de municípios, hein?

Você e sua comitiva fizeram bem em me trazer dos Estados Unidos aqui para os Trópicos.

Sua recepção foi tão calorosa, tão decidida, que eu logo me multipliquei em centenas, milhares, dezenas de milhares, e a família Covid-19 não para de crescer, graças à sua generosidade em conceder passaportes e salvo-condutos em toda parte dos 8,5 milhões de quilômetros quadrados do país.

Que acolhida mais cativante. Nunca cansarei de contar, no mundo inteiro, quão maravilhoso foi o asilo recebido aqui, já que na imensa maioria dos outros países, sem piedade, eu e meus semelhantes fomos maltratados e enxotados. Bolsonaro, você tornou mais robusta minhas linhagens. Por isso, em cada cemitério desse imenso território, suas marcas de modo algum serão apagadas ou ultrapassadas.

Agradeço pela recomendação que você faz diariamente para seu gado tomar Cloroquina. Por favor, não pare de divulgar, talquei? Pois eu gosto muito de Cloroquina. Não sei ao certo, mas a experiência me mostrou que ela é inócua contra mim, e talvez, por isso mesmo, sirva como uma espécie de vitamina para me fortalecer.

Como cada dia fico mais forte, não escondo que aprecio seus cuidados em me espalhar no meio do povo, em suas saídas e aglomerações sem máscara. Especialmente quando você esfrega a mão no nariz e transfere toda a meleca ao cumprimentar seus zumbis. Aí fica por minha conta. Confesso que é mais fácil do que tirar doce de criança, talquei?

Continue desafiando as leis e a Constituição, esse livrinho velho que não serve para nada. Não dê bola para cientistas e pesquisadores que estudam e sabem as consequências de atitudes insanas na saúde pública.

Seu comportamento é exemplar para meu caminho não ter obstáculos.

É obrigatório admitir que minha vida e longevidade estão em suas mãos. E todos os dias recebo de sua parte a renovação de meu seguro de vida. Continue agindo dessa maneira e eu não largarei jamais a terra brasilis.

Não se incomode com as críticas. Vão dizer que as centenas de milhares de doses de cloroquina produzidas pelo Exército foram gastos desnecessários e inúteis. Você sabe que essa conversa mole de inutilidade da cloroquina é uma questão de opinião. É imprestável apenas para os pacientes que foram infectados pela Covid-19, como esses malditos cientistas comprovaram. Por outro lado, para mim, e para quem a comercializa, ela é muito útil. Para quem vende gera lucro fácil, ainda mais com a propaganda ininterrupta em suas lives. Para mim funciona como energético essa abençoada droga. Acho que viciei nela, talquei?

Agora, em que não saímos nem mesmo da fase 1 da pandemia no Brasil e os casos são crescentes, derrube de uma vez por todas os empecilhos para que eu atinja milhões, dezenas de milhões, e progrida sem restrições. Talquei?

Siga mandando abrir as portas de templos religiosos, estádios de futebol, bares e restaurantes, salões de beleza, academias de ginástica e todo o tipo de muvuca. E reafirme que máscaras e quaisquer outras medidas preventivas de higiene são apenas para comunistas, petistas, ou seja, apenas meus inimigos não querem que eu permaneça existindo.

Confio plenamente em você, talquei?

Não existe um único ato seu que crie embaraços para a proliferação de minha família Corona, cada vez mais diversificada e com novas cepas, ainda mais virulentas. Temos em comum a preocupação e o cuidado com a nossa famiglia. Digo isso porque também sei de sua devoção à famiglia.

Saiba que isso lhe dará muita dor de cabeça. Possivelmente custará sua própria cabeça ter de explicar as rachadinhas, o queiroz, os depósitos dele nas contas da famiglia, o escritório do crime, o wassef, a loja de chocolate, os apartamentos subfaturados e depois superfaturados, o laranjal, os saques em dinheiro, o pagamento de boletos por terceiros em dinheiro e essa infinidade de esquemas pródigos de lavagem de dinheiro e outras coisas encardidas. Não dê ouvidos à oposição.

Aconteça o que acontecer, jamais esquecerei seu empenho e dedicação em atentar pela minha segurança e de meus clones.

Obrigado, Jair Bolsonaro.

Sinceramente e com afeição, seu mais fiel e felizardo admirador.

Corona.





*****

#ForaBolonaro
#EleiçõesGeraisJá

Colabore com o Blog do Agenor Bevilacqua Sobrinho



*****


Conheça também:


Se a cadela do fascismo está sempre no cio,
a luta antifascista deve ser constante.



O combate em sociedades totalitárias





Como encontrar os livros da Editora Cia. Fagulha:




Livraria Blooks
Shopping Frei Caneca - Rua Frei Caneca, 569 / 3º Piso

Livraria Augôsto Augusta
Rua Augusta, 2161

Livraria Zaccara
Rua Cardoso de Almeida, 1356


Caso preferir, envie sua consulta para o e-mail: atendimento@ciafagulha.com.br

Tel.: (11) 3492-3797


Nenhum comentário:

Postar um comentário