terça-feira, 24 de março de 2020

Ditados populares em tempos de Coronavírus, Covid-19


Ditados populares em tempos de Coronavírus, Covid-19





Há ditados populares tradicionais e recentes.
Entre estes, alguns se tornam clássicos imediatamente.



1. A pressa é a inimiga da perfeição.
Idiotas apertam 17 na urna sem refletir.
As consequências deletérias são escabrosas.
Ainda assim, #BozoOtários se vangloriam de uma inteligência que não possuem.

2. A corda sempre arrebenta do lado mais fraco.
Bozo edita MP927 para deixar trabalhadores sem salários por quatro meses. Capacho dos ricos, Bozo ainda afirma que não existe luta de classes.

3. Água mole em pedra dura tanto bate até que fura.
De tanto ouvir fake news de Bozo, seus fanáticos engravidaram seus dois neurônios com mamadeira de piroca, kit gay, Terra plana e outras tolices.

4. Águas passadas não movem moinho.
O que passou, passou. Mas quem não estuda História está condenado a repeti-la, principalmente quando se trata de cometer erros. Que saibamos evitar reproduzir falhas e não cometer os mesmos erros. #FascismoNuncaMais

5. Amigos, amigos, negócios à parte.
Não é porque você recebe uma mensagem nas redes sociais de um amigo/conhecido, que você obrigatoriamente deve retransmiti-la sem checar ao menos se há plausibilidade, alguma comprovação e demonstração do que está sendo divulgado. Não multiplique fake news, evite alimentar e proliferar a ignorância.

6. Cada macaco no seu galho.
Mas se eles não cuidam da própria vida e ainda derrubam as árvores dos demais, obrigatoriamente todos devem estar atentos para os efeitos sobre a comunidade.

7. Cão que ladra não morde.
No entanto, atenção: os que ladram incansavelmente estão avisando aos demais sobre seus problemas internos ou denunciando algo que pode ameaçar a todos. Cabe separar tagarelice de advertência fundamentada.

8. Casa da mãe Joana.
Bozo e Paulo Guedes, o Posto Ipiranga, fazem do Brasil a Casa da mãe Joana: privatizam, deterioram, cortam verbas da saúde e da educação, destroem direitos trabalhistas, entregam a Embraer, a Petrobras, a Amazônia etc. com se fosses propriedades particulares deles. São os patriotas do estrangeiro.

9. De médico e louco, todo mundo tem um pouco.
Trump e Bozo alardeiam existir contra o coronavírus curas e remédios não testados e perigosos à saúde pública. Seus exércitos de idiotas, a um passo do precipício, aderem às asneiras e dão mais um passo à frente. É o progresso da insanidade.

10. Deus ajuda a quem cedo madruga.
Mas de que adianta acordar cedo todos os dias e dizer “o país não pode parar por 5 ou 7 mil mortes”, como fez Junior Durski, dono do Madero, e outros empresários gananciosos e desalmados? A insensibilidade dos autointitulados “cidadãos de bem” é sintomática da indiferença e hostilidade dos ricos em relação aos pobres.

11. De grão em grão, a galinha enche o papo.
O vírus corona capitalismo é psicopata. Já afirmou antes que a bomba de nêutrons seria ótima porque não destruía edificações, “apenas organismos vivos”, segundo a celebração de Ronald Reagan. Agora, eugenistas querem aproveitar a “oportunidade” proporcionada pela “seleção natural” e exterminar velhos, pobres e todos aqueles que consideram “inservíveis”. Caso se comprove que o coronavírus é uma arma biológica, a extrema-direita terá muito a se explicar.

12) Devagar se vai longe.
Entretanto seguir o caminho errado, mesmo a passos lentos, continua sendo algo a se evitar. Enquanto há tempo, lembre-se: é melhor corrigir rotas do que se manter no caminho de colisão.

13. Diga com quem anda que lhe direi quem és.
Estou com Rosa Luxemburgo, Simón Bolívar, Lula, Fernando Haddad, Noam Chomsky, Drauzio Varela e semelhantes.
Em nome da moral, da família e da fé cristã os “cidadãos de bem” entregaram o país nas mãos de Cunha, Michel Temer, Aécio, Jucá, Geddel, Eliseu Padilha, Moreira Franco, Doria, Janaína, Bolsonaro etc.
O afastamento (psiquiátrico, inclusive) deve ser extensível aos cúmplices de Bozo (Janaína Paschoal e todos os golpistas e apoiadores), que agora fingem surpresa com as irresponsabilidades do fascista que levaram ao poder.

14. Esmola demais até santo desconfia.
Quando 57 milhões se olharam no espelho e enxergaram no Corona ignorante o suprassumo da inteligência, chamando de mito o mitômano, não se poderia esperar resultado diverso da desgraça diuturna pela qual passamos. Como dizia Brecht: do nada, nada virá.

15) Filho de peixe, peixinho é.
Não há uma atitude dos filhos de Bozo que não lembre o pai deles. A inesgotável capacidade de produzir fake news, atrapalhar, iludir incautos e produzir problemas de forma ilimitada mostra que o DNA Bozozoico tem intrinsecamente a desagregação e a destruição como desencadeantes sociais, políticos, econômicos etc.

16. Há males que vêm para bem.
Em geral há males que fazem mal.
Se em algum momento eles puderem produzir algum bem, certamente será quando servirem para desmascarar a manipulação de prestidigitadores que surfam na ignorância alheia. Por exemplo, o neoliberalismo prometeu o melhor dos mundos e entrega o pior deles. Se há algo a mudar para melhor em nossas vidas, é lógico que a extinção do neoliberalismo deve ser um dos deveres fundamentais de todos os que se comprometem com uma vida melhor no planeta.

17) Mais vale um pássaro na mão do que dois voando.
É melhor deixar os pássaros livres e em paz.
Engaiolá-los é sintomático de pessoas que pensam que os outros são suas propriedades.
É mais valioso respeitar os demais, do que imaginar ilusoriamente que seremos felizes por abatê-los no cárcere de nosso egoísmo.

18) Mente vazia, oficina do diabo.
Diz o Diabo: Mente vazia, oficina do Olavo.

19. Não deixe para amanhã aquilo que você pode fazer hoje.
Desde que o que você antecipar seja correto.
Não apenas postergue, mas evite os erros. Sempre.

20. Não ponha a carroça na frente dos bois.
Não se entrega a condução de um país complexo a um rematado idiota.
As Forças Armadas, mesmo sabendo tratar-se de um “bunda suja”, impuseram Bozo — o elemento hostil às ciências, ao conhecimento em geral, às mulheres e outras minorias — com o apoio da mídia corporativa, das classes dominantes e do judiciário.

21. Nem tudo que reluz é ouro.
As aparências enganam. O sujeito afirma ser patriota, na realidade é entreguista.
Diz defender os interesses nacionais, quando entrega aos estrangeiros o patrimônio nacional na bacia das almas.

22) Onde há fumaça, há fogo.
Destruição da Amazônia; do patrimônio nacional; de direitos trabalhistas, sociais e previdenciários; da saúde e da educação etc. O país arde e os fanáticos insistem em jogar gasolina: “estão exagerando, isso é só uma gripezinha”. Há fumaça em profusão, e sabemos que ela é efeito e não causa.

23. Para bom entendedor, meia palavra basta.
“Não jogai pérolas aos porcos”, disse o sábio.
Não desperdice o seu tempo com fanáticos bozozoicos. Nem mesmo todas as palavras certas da humanidade livrarão todos os zumbis sequestrados pela máquina de mentir de Steve Bannon e seus cúmplices.

24. Por ele eu ponho minha mão no fogo.
Confiança é necessária.
Ser incauto e se fiar num mentiroso contumaz como Bozo, denota duas coisas, pelo menos: identificação e cumplicidade.

25. Quem não é visto, não é lembrado.
Os canalhas exibem a exuberância de seus defeitos com a vaidade de pavões.
Ser lembrado como figuras abjetas não preocupam essas criaturas.
Como as cadeiras precisam de pés para se sustentar, bastaria aos sensatos subtrair esses apoios para que salteadores/especuladores deixassem de se aproveitar dos demais.

26. Quem não tem cão caça com gato.
Não se entrega a condução de um país com 210 milhões de habitantes e a complexidade do Brasil a um despreparado. Não adianta improvisar com a turma do fundão, pois a inépcia desta produzirá sucessão de desgraças coletivas para beneficiar parasitas financeiros e seus apaniguados. É verdade que se não temos tudo devemos lançar mão do que temos, mas isso não significa recorrer ao que temos de pior na sociedade, os empedernidos fascistas.

27. Roupa suja se lava em casa.
Mas não podemos assistir inertes à destruição da democracia perpetrada pelo “bunda suja” e seus associados. Uma coisa é respeitar a privacidade. Outra é sermos coniventes, pela inércia, com a destruição do país pelas ininterruptas ações e medidas deletérias de antipopulares, antissociais e antinacionais que tomaram o poder em virtude do golpe de Estado.

28. Saco vazio não para em pé.
A ignorância é, muitas vezes, pior do que a própria fome.
Quem tem conhecimento pode criar meios de se alimentar física e emocionalmente.
A estupidez se empanturra de detritos da máquina de fake news de Steve Bannon e seus aliados. Nega a verdade. Como um saco vazio, é levada de um lado a outro pelas sandices mais estapafúrdias forjadas na indústria da mentira da extrema-direita.

29. Quem com ferro fere, com ferro será ferido.
Bolsominions imaginavam que com Bozo só os outros (petistas, lgbts, negros, pobres etc.)  seriam prejudicados. A devastação promovida por Bozo e seu Posto Ipiranga não deve poupar quase ninguém. Daí a urgência de dar um basta à disenteria de desatinos.

#CoronaCapitalismo: a devastação neoliberal começa a ser questionada até mesmo por parte de seus recém-defensores.

30. Um dia é da caça, outro, do caçador.
Os alvos da política genocida de Bozo e de seu Posto Ipiranga precisam se organizar, se defender e partir para o ataque contra seus algozes. Dispensar hipnotizadores e seus mercenários. Não se enganar por ilusões. Paralisar a insensatez e dar um mínimo de sanidade ao curso da vida é, sobretudo, elementar para seguirmos adiante. E temos todos os motivos para iniciar essa caminhada. Com coragem, determinação e solidariedade.


 

*****

#ForaCoronaMiliciano
#EleiçõesGeraisJá



Colabore com o Blog do Agenor Bevilacqua Sobrinho


*****

Conheça também:










Tel.: (011) 3492-3797



Nenhum comentário:

Postar um comentário