quinta-feira, 4 de julho de 2019

Reforma da Previdência e a propaganda enganosa de Bolsonaro


Reforma da Previdência e a propaganda enganosa de Bolsonaro



A propaganda enganosa de Bolsonaro
quer fazer crer que o acordo da corda com o pescoço é muito bom para este.

1. Na campanha eleitoral de 1989, Fernando Collor dizia que Lula (PT) iria confiscar o dinheiro da poupança dos brasileiros.
Realidade: Em março de 1990, Collor confisca poupança dos brasileiros.

2. Na campanha eleitoral de 2018, Bolsonaro dizia que Haddad (PT) iria transformar o Brasil em uma Venezuela, implantar uma ditadura comunista, censurar e perseguir jornalistas e a imprensa.
Realidade: Em 2019, o deputado Jean Wyllys, a filósofa Márcia Tiburi e muitas outras pessoas são obrigadas ao autoexílio em função de ameaças, intolerância e perseguição da extrema-direita. Ademais, o jornalista Glenn Greenwald sofre retaliações de Sérgio Moro — o ministro da (In)Justiça do (des)governo de extrema-direita — ao revelar pelo Intercept Brasil (associado à Folha, Veja e outros veículos) sucessão de delitos na atuação de Moro na Lava jato.

3. No golpe de 2016, Temer-Aécio e demais golpistas afirmaram que era só tirar a Dilma que tudo melhoraria. Que a reforma trabalhista iria produzir milhões de empregos.
Realidade: Desemprego cresceu e as condições são cada vez mais precarizadas para trabalhadores/as e desesperadoras para desempregados/as.

4. Na campanha eleitoral de 2018, Bolsonaro fugiu dos debates, deu a impressão de que tudo se resolveria fazendo arminha com as mãos, incentivou ódios e intolerâncias, espalhou milhões de fake news e, aliado aos setores mais retrógrados, prometeu livrar o Brasil do "comunismo".

Realidade em 2019: Desemprego cresceu e as condições são cada vez mais precarizadas para trabalhadores/as e desesperadoras para desempregados/as.

5. Únicas propostas de Bolsonaro são armar a população, a Terra é plana, meninos vestem azul e meninas vestem rosa, religião nas escolas, ciências fora das escolas, acabar com a tomada de três pinos, apoio aos milicianos, aumentar limite de pontos na CNH (permitir mais transgressões no trânsito), fim do horário de verão, retirar obrigatoriedade de cadeirinha para crianças nos veículos, abolir radares nas estradas, fim do "comunismo no Brasil".
Realidade: Entrega de patrimônio nacional às multinacionais, desnacionalização da economia e perda da soberania brasileira. Desemprego cresceu e as condições são cada vez mais precarizadas para trabalhadores/as e desesperadoras para desempregados/as.

6. Bolsonaro-Guedes-Globo e associados propõem a "reforma da previdência" para "salvar o Brasil". Propaganda de Bolsonaro promete “gerar milhões de empregos” e insiste que “sem a realização da reforma do Paulo Guedes o Brasil quebra e não haverá mais como pagar a aposentadoria para ninguém”.
Realidade: Projeto implica em perdas extremamente graves para os mais pobres, em especial para mulheres, negros/as, professores/as e para quase todas as categorias profissionais, ou seja, para a grande maioria da população. Bancos e demais privilegiados continuam privilegiados e ganhando mais.
Realidade pós-propaganda da reforma "redentora" (se for aprovada essa desgraça): Desemprego crescerá e as condições serão cada vez mais precarizadas para trabalhadores/as e desesperadoras para desempregados/as.

7. Na campanha eleitoral de 2018, Bolsonaro promete prosperidade e o paraíso terrestre no Brasil.
Realidade: Famílias estão ainda mais divididas, intolerância e ódios disseminados, a economia regride, as fábricas fecham as portas, o desemprego e a miséria se ampliam; os direitos sociais, trabalhistas e previdenciários são suprimidos e as expectativas são tenebrosas.
Realidade dos povos das florestas: Perseguição, supressão de direitos, ameaças de aniquilamento cultural e, em última instância, físico.
Realidade da devastação: Desmatamento na Amazônia aumenta 60% em junho deste ano em relação a 2018.
Com a velocidade do desmatamento no (des)governo Bolsonaro, a Amazônia acabará antes do governo(?) desse infeliz?

8. Portanto, o melhor a fazer é a mobilização e a luta para impedir retrocessos, barrar a agenda reacionária, reconquistar direitos e reconstruir caminhos para produzir um país livre, soberano e democrático.


Colabore com o Blog do Agenor Bevilacqua Sobrinho


*****


#LulaLivre
#SequestrodeLula é luta de classes: 454 dias.
Moro & Bolsonaro: #PatriotasdoEstrangeiro
Marielle e Anderson assassinados em 14/03/2018: 477 dias.
Teori Zavascki (?) em 19/01/2017.
Quem matou Teori?
#QuemMatouTeori?

Sistema de Justiça: amputa a gangrena ou se suicida?
Coragem, CNJ.
Moro não está acima da lei. Deve ser investigado.
Et cetera: juiz ladrão e outras ilegalidades.

Entrevista exclusiva de Lula ao Sul21




Colabore com o Blog do Agenor Bevilacqua Sobrinho




*****

Conheça também:








Tel.: (011) 3492-3797



Nenhum comentário:

Postar um comentário