sexta-feira, 5 de outubro de 2018

Associação de docentes da USP repudia o fascismo de Bolsonaro


Associação de docentes da USP repudia o fascismo de Bolsonaro

Adusp contra o fascismo.
Em defesa da democracia.

 

Carta aberta às e aos docentes da Universidade de São Paulo


Caras e caros colegas,

A Associação dos Docentes da USP, ADUSP, fundada em outubro de 1976, ainda no período da ditadura militar instaurada em 1964, tem suas origens e sua atuação fortemente relacionadas à defesa intransigente das liberdades democráticas e do estado de direito.

As diretorias da Adusp têm mantido, ao longo da sua história, a escolha por não se manifestar sobre candidaturas nos processos eleitorais, no sentido de garantir a necessária autonomia e independência da entidade em relação a partidos políticos e governos.

Nesse pleito, diante de uma candidatura que se coloca em flagrante antagonismo aos princípios democráticos basilares e que tem encontrado eco em parcelas do eleitorado, a diretoria da Adusp entendeu que não poderia deixar de se posicionar.

Não podemos calar diante da candidatura do PSL, de Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão, defensores abertos da herança política do regime militar, da mitigação do que ainda nos resta de direitos trabalhistas e do armamento generalizado em um dos países com mais altas taxas de homicídios.

Não se pode silenciar diante de uma candidatura que visa banalizar o arbítrio do estado, a tortura, a homofobia, a misoginia, o racismo e a violência.

Não podemos compactuar com a regressão, do que com muita luta se conseguiu avançar nesse país em relação às liberdades democráticas, aos direitos humanos e de cidadania, ainda mais quando temos ciência do quão distantes ainda estamos de conquistar um patamar condigno com uma sociedade mais justa, mais tolerante e includente.

Causam surpresa as alegações que procuram justificar o voto nesse tipo de candidatura apenas com base na rejeição a outras ou ao atual sistema político, independentemente da necessidade de transformá-lo. Para cidadãos que, como nós, docentes universitários, têm acesso a informação qualificada e podem realizar apreciações ponderadas e críticas, isso não pode ser pretexto para observar passivamente que o país seja levado a tamanho retrocesso.

Queremos nos somar a tantos que mantém o compromisso de lutar para que nossa sociedade supere as barreiras que nos tem impedido de caminhar para melhores patamares de desenvolvimento e justiça social.

A diretoria da Adusp junta-se, portanto, a tantas outras vozes que ecoam  "Ele Não"!

*****

#SequestrodeLula
Sequestro de Lula é luta de classes.
Sequestro de Lula chega aos 182 dias.
#LutadeClasses
#LulaLivre
Marielle e Anderson assassinados em 14/03/2018.
205 dias.
Permanecem impunes mandantes e executores.
#justiçaburguesa


*****


Combata as mentiras que circulam nas redes contra Haddad


Fake News contra Haddad na reta final da campanha vão de pesquisas fajutas a mamadeiras eróticas




Confira:

Anticristo


Sociedade brasileira dará um cheque em branco a Bolsonaro?


Jesus disse: Amai-vos uns aos outros. #EleNão disse: Armai-vos uns aos outros

 

Família Moro deixa cair a máscara. Outra vez.


Carta de Lula reafirma: Fernando Haddad é nosso candidato, pois o projeto que ele defende promove o desenvolvimento com inclusão social

 

#Nocaute Multidão gigantesca de mulheres, homens, jovens, velhos e crianças nocauteiam Bozonazi, o representante do golpe. #EleNão #ÉPelaVidadasMulheres


Mourão, vice do Coiso, quer “rediscutir” (ameaça de extinção) 13° salário do trabalhador. #EleNão


Bozonazi combina com Temer reforma da Previdência que detona os pobres


Paulo Guedes, o posto Ipiranga do Bozonazi, propõe imposto de renda Robin Hood às avessas, ou seja, tira dos pobres para dar aos ricos.




Confira também:

Os livros da Editora Cia. Fagulha podem ser adquiridos diretamente pelo site da editora ( www.ciafagulha.com.br ) ou na Livraria Augôsto/Augusta (Rua Augusta, 2161 - São Paulo-SP).







Nenhum comentário:

Postar um comentário