sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Beijo da morte de Aécio enterrou Marina


Beijo da morte de Aécio enterrou Marina



Reacionária convicta:
2014 com Aécio.
2016 com o golpe de Aécio, Cunha, Temer etc. 


Ciosa de julgar todos e todas, Marina não consegue se livrar de suas próprias escolhas, apesar de não assumir responsabilidades.
Ao apoiar Aécio em 2014, ela demarcou formalmente seu território na direita brasileira, demonstrando que o ressentimento e o uso alucinado do fígado para fazer política são seu leitmotiv.
Não satisfeita em provar seu direito a um título remido no campo dos reacionários, completou a dose ao endossar o golpe de Estado de 2016.
Ainda há iludidos com a “fada da floresta”.
Também a “Terra plana” e outras estultices encontram incautos partidários.
Entretanto, não temos tempo para exéquias.
Aqueles que preservaram a lucidez sabem que o fascismo está de prontidão e não há espaço para contemporizar ou tergiversar.
A decisão da sociedade agora é entre democracia (Lula) e barbárie (Bolsonaro).



Confira:

Globo pariu Bolsonaro e mandou Bonner balançar o berço no Jornal Nacional


Filme ''O Jovem Karl Marx'' (Completo - Legendado - HD)


Dr. Toicinho joga a toalha e admite que Lula já venceu a eleição


Renomados juristas estrangeiros afirmam que Brasil deve cumprir decisão da ONU


Os irmãos que trabalham para comprar a democracia. Por Léa Maria Aarão Reis


Pitacos em formato de ippon


Primeiro a gente tira a Dilma. Depois




Confira também:

Os livros da Editora Cia. Fagulha podem ser adquiridos diretamente pelo site da editora ( www.ciafagulha.com.br ) ou na Livraria Augôsto/Augusta (Rua Augusta, 2161 - São Paulo-SP).




Nenhum comentário:

Postar um comentário