terça-feira, 17 de julho de 2018

Dr. Toicinho eufórico com seu juiz de estimação


Dr. Toicinho eufórico com seu juiz de estimação

Estado de Exceção: A exceção é a regra.

Dr. Toicinho, CEO do PIG (Partido da Imprensa Golpista) desde 1939, confidenciou a seus correligionários a imensa alegria de poder contar com um juiz de estimação dócil, servil e disposto a tudo para agradar os verdadeiros chefes.
Segundo um dos convivas, o Dr. Toicinho teria gargalhado por longo tempo quando perguntado se não teria receio de o indigitado juiz não conseguir dar conta do recado.
Resumidamente, esse é o relato do Dr. Toicinho sobre o caso:

Dr. Toicinho
Vocês me conhecem há muito tempo. E sabem que não brincamos quando se trata de defender nossos interesses.

Esse tempo todo, não demos ração e holofotes ao juizinho à toa. Estudamos sua personalidade, seus hábitos, inclinações, defeitos diversos e qualidades mínimas. Entretanto, entre estas está a mais completa e total obediência a nossos ditames, o que, convenhamos, é o que importa.

Como vocês puderam perceber todos esses anos, ele não nos desaponta. Ao mínimo sinal de que nossos esquemas venham a sofrer riscos, ele prevarica sem pestanejar; desobedece às ordens judiciais que nos contrariam; abusa de autoridade para nos favorecer; se desejarmos, condena inocentes sem provas e evita que tenhamos de competir com alguém imbatível. Além de uma série de outras providências individuais e de seus amigos para reafirmar sua estrita e canina fidelidade a nossos caprichos. Enfim, pinta e borda e, o que é sensacional, faz gato e sapato do Código de Processo Penal e não tem escrúpulos ao estraçalhar a Constituição.

Não podemos desdenhar da utilidade dessa figura, não é mesmo?

Portanto, como combinamos, vamos seguir dando a ele páginas em nossas revistas, e, se necessário, consumir a energia de mil usinas de Itaipu com holofotes ligados 24 horas para afagar o ego oceânico desse medíocre que não iria a lugar algum sem nossa publicidade incessante e avassaladora.

Os néscios aceitam tudo o que dizemos em nossas publicações. Basta ordenarmos em nosso Jornal Nacional, e a multidão bovinamente entoa os cânticos e palavras de ordens que inventarmos. Pode ser a coisa mais tresloucada e absurda, mas temos audiência cativa predisposta a fanaticamente aceitar comer carne podre como se fosse a mais nobre e fresca das iguarias. Dê veneno a essa multidão de tolos e, pasmem, ela ainda agradecerá como se tivéssemos oferecido ambrosias privativas dos deuses do Olimpo.

Anauê!!!



Confira:

A jurisdição sequestrada. Por Wadih Damous


LANÇAMENTO de Dramaturgia Comparada Estados Unidos / Brasil. Três estudos — na Casa das Rosas, 25/07/2018, das 18h às 21h. Por Maria Sílvia Betti

 

Judiciário liga o foda-se

 

Constituição do Brasil

 

Mais uma obra macabra do PSDB - Cadáveres de 1600 pessoas podem virar lixo na cidade de São Paulo

 

#Verme Supremo

 

Afirmações, Perguntas e Respostas

 

Imobiliária para Imigrantes Adolf Trump. Real Estate for Immigrants Adolf Trump.

 

Triunfo nazista nos EUA - Nazi Tr(i)ump(h) in the USA

 

Revista Alfafa ensina que perder é ganhar

 



'A resistível ascensão de Bushad'óleo.'. Margem Esquerda, São Paulo, v. 1, p. 190-198, 2005.

 

Brecht, história e o teatro épico >>>>> dialética


BRECHT: Arte, História e Poder



Confira também:

Os livros da Editora Cia. Fagulha podem ser adquiridos diretamente pelo site da editora ( www.ciafagulha.com.br ) ou na Livraria Augôsto/Augusta (Rua Augusta, 2161 - São Paulo-SP)




Nenhum comentário:

Postar um comentário