terça-feira, 12 de junho de 2018

Histórias do Sr. Keuner - 2 – Bertolt Brecht. Tradução de Paulo César de Souza


Histórias do Sr. Keuner - 2 – Bertolt Brecht.
Tradução de Paulo César de Souza


O reencontro
Um homem que o sr. K. não via há muito tempo o saudou com as palavras:
“O senhor não mudou nada”. “Oh!”, fez o sr. K, empalidecendo.



Sócrates
Depois de ler um livro de história da filosofia, o sr. K. se manifestou depreciativamente sobre as tentativas dos filósofos de caracterizar as coisas como basicamente incognoscíveis. “Quando os sofistas afirmaram saber muito, sem ter estudado”, disse ele, “surgiu o sofista Sócrates com a afirmação arrogante de que sabia que nada sabia. Seria de esperar que ele acrescentasse: pois eu também não estudei nada. (Para saber algo, temos que estudar.) Mas ele parece que não continuou a falar, ou talvez o aplauso imensurável que irrompeu com a primeira frase, e que durou dois mil anos, tenha engolido qualquer frase seguinte.”


Sugestão para quando uma sugestão não é seguida

O sr. K. recomendava que a toda sugestão se acrescentasse, quando possível, uma outra sugestão, para o caso de a primeira não ser seguida. Assim, quando propôs a alguém que se achava em apuros um procedimento que prejudicasse o menor número possível de outras pessoas, falou também de um outro procedimento, que era menos inofensivo, mas não era o mais implacável. “A quem não pode tudo”, disse ele, “não se deve dispensar do mínimo.”
 


Exemplo de bom ensinamento
Como exemplo de um bom ensinamento, o sr. Keuner deu o seguinte:
O matemático D. contou à sua pequena sobrinha, que acreditava em anjos, que atrás dela havia um anjo, mas quando ela olhava para trás, o anjo não estava lá, e também não quando ele olhava. Ela olhou para trás várias vezes, e a cada vez seu tio afirmava que o anjo estava sim atrás dela.

Louvor
O sr. Keuner louvou bastante um homem que o havia ajudado em algo. “Você o louva para que logo ele o ajude novamente”, disse um ouvinte maldoso/aborrecido. “Ora”, defendeu-se o sr. Keuner, “mas eu quero ser ajudado apenas por pessoas louváveis.”

Bertolt Brecht



Confira:

Bertolt Brecht – Histórias do Sr. Keuner


 

Aquele que duvida – Bertolt Brecht

 

Os apetrechos de Weigel – Bertolt Brecht. Tradução de Geir Campos

 

Bertolt Brecht - Aos que vão nascer. Tradução de Geir Campos


A lenda do soldado morto – Bertolt Brecht


 

Elogio da dialética - Bertolt Brecht

 

Alemães querem saber por que Brecht interessa tanto no Brasil


 

Brecht: Infeliz a nação que precisa de heróis

 

 

O analfabeto político - Bertolt Brecht




'A resistível ascensão de Bushad'óleo.'. Margem Esquerda, São Paulo, v. 1, p. 190-198, 2005.

 

Brecht, história e o teatro épico >>>>> dialética


BRECHT: Arte, História e Poder



Confira também:

Os livros da Editora Cia. Fagulha podem ser adquiridos diretamente pelo site da editora ( www.ciafagulha.com.br ) ou na Livraria Augôsto/Augusta (Rua Augusta, 2161 - São Paulo-SP)







Um comentário:

  1. It’s arduous to search out knowledgeable people on this topic, however you sound like you know what you’re speaking about! Thanks online casino slots

    ResponderExcluir