sábado, 14 de abril de 2018

Soberania


Soberania



Entreguismo: a arte de se desfazer (com gordas comissões) do que é do povo.


O Brasil chegou a ser a 6ª economia do mundo nos governos Lula e Dilma.
A alegria do povo era evidente.
Oportunidades foram abertas para muita gente que nunca teve vez.
Entretanto, nem mesmo as módicas e tímidas mudanças foram aceitas pela elite reacionária e entreguista do país.
Então, os derrotados 4 vezes seguidas nas urnas, inconformados com a democracia, resolveram dar um golpe de Estado para derrubar uma Presidenta honesta e se articularam — Judiciário, Ministério Público, Polícia Federal, mídia oligárquica — para colocar no poder uma quadrilha sem escrúpulos e completamente antipopular e antinacional.
É claro que os principais interessados e beneficiários foram os grandes corruptos do Brasil e seus aliados estrangeiros, que abocanharam o patrimônio público em negociatas facilitadas pelos bandidos golpistas, todos protegidos pela justiça burguesa.
Em nome da moral, da família e outras litanias, hipócritas e canalhas transformam o país em um puteiro.
Festejados nos palácios — a desnacionalização das empresas, o sucateamento da engenharia pesada, a destruição da indústria naval, a entrega do Pré-sal, da Embraer, do Aquífero Guarani, ou seja, de amplos setores estratégicos —, foram comemorados pela massa boçal de verde-amarelo, os mané-festantes, que todos os cleptocratas sonham como apoio para suas trapaças e crimes lesa-pátria.

O entreguismo visceral dos patriotas do estrangeiro mais uma vez se impôs. 

Ontem foi FHC: Vale do Rio Doce, Telebras etc.

Hoje, Temer – Embraer, Pré-sal, Eletrobras, Embraer etc.
No momento em que os paneleiros gritavam que nossa bandeira “jamais será vermelha” (com suas dancinhas de analfabetos políticos exultantes por entregar o destino da pátria às multinacionais), os golpistas entregavam o patrimônio público na bacia das almas (sardonicamente, o mapa do Brasil foi preenchido com as cores das bandeiras dos países que se apropriaram de nossas riquezas dadas pelos golpistas).
Enquanto isso, as Forças Armadas, que deveriam defender nosso território e a soberania do país, estão inertes. Ou são associadas e cúmplices? São forças de ocupação? Cavalos de Tróia?
É a ditadura neoliberal pisoteando direitos fundamentais. E acelerando o grande acordo da corja golpista: Com o Supremo, com tudo!

 

Confira:

Carta de Berlim: A hora e a vez de Luiz Inácio. Por Flávio Aguiar

 

Judiciário

 

Temer e a segurança pública

 




Confira também:

Os livros da Editora Cia. Fagulha podem ser adquiridos diretamente pelo site da editora ( www.ciafagulha.com.br ) ou na Livraria Augôsto/Augusta (Rua Augusta, 2161 - São Paulo-SP)







Nenhum comentário:

Postar um comentário