terça-feira, 8 de agosto de 2017

Atacado e varejo no extermínio de pobres e miseráveis



Atacado e varejo no extermínio de pobres e miseráveis

Golpistas que apostaram no mito da apatia popular começam a se dar mal.

Os nazistas-cristãos obstinadamente querem levar até o fim seu programa de reduzir ao máximo a quantidade de pobres e miseráveis, tidos como “desagradáveis e poluidores da paisagem nacional”.
Entretanto, ao contrário do que podem imaginar os mais otimistas e incautos, a receita não é criar mecanismos de inclusão, como emprego e acesso a oportunidades para todos.
“O caminho, a verdade e a vida dos senhores de bens é pela purga da humanidade residente em solo tupiniquim, e, para isso, ações drásticas já estão em andamento para atingir o sucesso do almejado extermínio de pobres e miseráveis.”
Para aplicar a receita neoliberal à risca, há os devotos atacadistas e os insuperáveis varejistas.
No atacado, as “reformas” trabalhistas e sociais do usurpador Temer funcionam como verdadeira Cataratas do Niágara (ou um Rio Amazonas) sobre as cabeças dos pobres, que fazem mil peripécias para ter um momento de tranquilidade e conseguir respirar em meio a tanto desassossego desabando e soterrando suas vidas desprotegidas.
Como as medidas do PCC – Primeiro Comando do Capital são incessantes para retirar quaisquer formas de proteção “populistas” aos enjeitados do sistema da meritocracia, as precariedades e desigualdades sociais chegam a patamares olímpicos que ultrapassam até mesmo o monte Olimpo, apesar de desconhecermos as reações de Zeus e seus convivas imortais diante de invasões sacrílegas em suas propriedades celestiais, até então tidas como inexpugnáveis.
Enquanto “especialistas”, muito bem pagos para dizer “continue assim” — plagiando o ladrão-presidente, com Joesley em relação a Cunha —, proclamam que, fora dessas medidas “prudentes e salvadoras, não há salvação”, os afetados pelas decisões favoráveis apenas à Casa Grande permanecem sendo alvo dos atentados econômicos, políticos e sociais dos golpistas encastelados no poder sem votos, os destruidores da embrionária democracia.
Os nazistas-cristãos produziram o terrorismo do século XXI, que instala coletes de bombas-relógio na vida despedaçada de famintos e deserdados, e as explosões simultâneas nos becos e periferias atestam a eficácia do planejamento rentista.

No varejo, por outro lado, as medidas são próprias dos Dez Mandamentos do nazista-cristão.
1. Chuveiros e quedas de água em marquises para afugentar os “malcheirosos, indisciplinados indigentes e preguiçosos que, se fossem como ‘joão-trabalhador’, estariam hospedados no Waldorf Astoria New York, ao invés de ficarem ao relento. Quem mandou não ter meritocracia?
2. Arame farpado, grades, creolina e os bate-paus para “desinfetar” as cercanias das pessoas de bens.
3. A utilização de animais agressivos e nazibombados, e vice-versa, para “deixar a área limpa, perfumada e sem detritos”.
4. Os esquadrões juvenis de playboys que fazem dos corpos jogados nas calçadas —pelo modelo neoliberal “modernizante” — seus sacos de pancadas para “espantar o tédio” de suas vidinhas burguesas.
5. Os piromaníacos se deleitam com a combustão de indígenas e outros “inempregáveis e inservíveis”.
6. PatOtários levam para a av. Paulista suas plaquinhas, em português sofrível, com inscrições “contra o Bolsa Família, Prouni, SUS e outras fórmulas vermelhas de sustentar vagabundos e parasitas”.
7. Filhinho de desembargadora com 130 kg de maconha, helicoca de senador com meia tonelada de pasta base de cocaína e filhinho de rede de comunicação do Sul que mata e atropela três ou mais pedestres, podem fazer suas “estripulias de jovens”, pois a família “deve ser compreensiva com os seus, o que seria diferente se fosse um pretinho  mal-intencionado com meia grama de talco, um pacote fechado de biscoito maizena ou um litro de pinho sol.em sua mochila molambenta”.
8. As famílias rentistas não devem arredar o pé de sorver mais da metade do PIB, a título de juros. Ao contrário, seus estrategistas devem aspirar à eficiência total e colocar seus representantes para operacionalizar o abocanhar de 100% do suor coletivo que produz a riqueza nacional “naturalmente destinada às pessoas de bens, daqui e de acolá”.
NOTA: Este parágrafo é pertinente com implementações no atacado. Substituir por um brado “contra a corrupção!”. Ops! Esse também é no atacado, para ser repetido no varejo pelos paneleirOtários. Por ora, deixemos o 8º com o aviso: “Em construção”.
9. Os programas televisivos narcotizantes (atacado) não conseguem sozinhos deter a insubordinação dos amotinados e degredados do sistema, que atacam ovos e sabe-se-lá mais o que em pessoas de fino trato, ainda mais com a “ralé com celulares para filmar e documentar o que o PIG certamente, por princípio e boa educação, ignoraria. Para dar um basta a essa situação inominável, é necessário que seja lançado um capacete ‘de grife’, para amenizar os efeitos dessas agressões, antes que a polícia chegue para demonstrar a todos quem é que manda nela”.
10. Para finalizar, o procedimento mais importante caso venham POBRES E MISERÁVEIS bater em NOSSAS PORTAS; fazer passeatas vermelhas reclamando sem motivos, ao invés de irem pegar no batente duro e honesto, do qual nós, os ricos, devemos nos afastar por misericórdia e predestinação divina; enfim, LEMBRE-SE DO CONSELHO seguido desde as Capitanias hereditárias pelos nossos antepassados nazistas-cristãos avant la lettre: NÃO ATENDA!



Confira também:








Nenhum comentário:

Postar um comentário