terça-feira, 18 de julho de 2017

República de Curitiba


República de Curitiba

Al Capone: Tá dominado!
Com o sotaque ainda carregado, Al Capone deu entrevista exclusiva ao Blog do Agenor Bevilacqua Sobrinho.
A seguir, acompanhe os principais trechos.

Desde que me filiei no PSDB, devo admitir, é só alegria. O PSDB tem imunidade nas estruturas repressivas do Estado. PF, MP e Judiciário não fazem nada contra seus membros. É só observar que as máfias da merenda, dos trens e metrô, de Furnas, da Privataria, dos sorvetes milionários, da dívida pública etc. Nunca são incomodadas. Tucanos são intocáveis, meu filho.
A participação majoritária do PCC – Primeiro Comando do Capital garante a lubrifica a subserviência de estruturas diversas.
Eu nunca tive tamanha rede de proteção.
Adoro também a República de Curitiba, uma das subsidiárias do golpe midiático-parlamentar-jurídico-policial.
Os Golden boys da República de Curitiba eliminam rivais sem provas e ainda contam com os programas fantásticos do Dr. Toicinho para dar ares de verdade à embromação da seita do Tantãnhol. Eles descartam candidaturas antipáticas aos nossos planos com a desenvoltura de mágicos sobrenaturais. O espectro político será reduzido à extrema-direita, ou seja, às pessoas de bens, quer dizer, eu e minha turma.
Esse “explanacionismo” é pior do que o pau-de-arara, podes crer... Por quê? Ora, ele tortura quaisquer frases, apresenta “documentos” encomendados e produzidos nas gráficas do Dr. Toicinho como verdades sagradas. Nem se dão ao trabalho de usar um pouco de lógica, de verossimilhança (admito que, nesse aspecto, a brutalidade é a mesma que utilizávamos).
Com milhões de analfabetos políticos, basta dizer que “está caçando corruptos” para os idiotas vestirem camisas verde-amarelas da CBF, baterem panelas e acreditarem nas mentiras deslavadas de nossos procuradores tucanos.
Nunca vi nada igual. Pode anotar, é um sistema de envergadura institucional bastante amplo. Se você for comparar, o esquema da Máfia é coisa de amador. É até humilhante para o meu pessoal. Agora não é merreca de venda ilegal de bebidas, como na época da Lei Seca. Isso é coisa de bandidinho mequetrefe.
O projeto de poder açambarca tudo: Pré-sal, programa nuclear, terras continentais, construção civil, indústria naval, educação, subsolo, ar, mares etc. Tudo passa para as mãos de multinacionais. Com anuência dos órgãos de fiscalização. É inacreditável, entendeu? Enquanto ocorre a rapina das riquezas nacionais, a multidão de idiotas veste camisas verde-amarelas para apoiar o saque colonial. Nem mesmo a literatura surrealista consegue superar a realidade fantástica que anestesia o povo dessas plagas.
Se Deus não tem piedade desses tolos, imagine o Capeta.
É mais fácil do que tirar doce de uma criança. Chega a ser ridículo. Nem posso contar vantagem, meus antigos amigos me chamariam de mentiroso se eu relatasse essas coisas que acontecem nesse país. Se aqueles que deveriam se insurgir, aplaudem bovinamente, o que você faz? Avança e ferra ainda mais o quadrúpede. Nenhum malandro tem dó de paspalho adornado de Pato. Aliás, quem não conhece o que é “pato” na gíria, tem mais é que se danar, entendeu?
O único problema é que não há desafios. Tudo é muito fácil. Os caras deram o golpe de Estado e o Supremo chancelou. Quem deveria salvaguardar a Constituição, veja só, coparticipou do estupro à luz do dia. A Constituição vilipendiada no acordão com o Supremo e tudo para “estancar a sangria”, senão essa porra não ia parar nunca.
Sob quaisquer pretextos, a Polícia persegue nossos rivais, leva em condução coercitiva sem ao menos ter notificado o sujeito para depor; trancafia alguns para inventarem quaisquer contos do vigário que sirvam aos interesses da Seita. Para não mofar na cadeia, o cara diz tudo o que o juiz e procuradores querem ouvir. Como recompensa da “delação premiada”, fica com a grana que roubou e suas mansões maravilhosas e, o essencial, detona os inimigos do juiz com conversas que não juntam “lé com cré”. Diga se não é diabólico?
Claro que meus negócios precisam de segurança para prosperar. Porém, está ficando muito tediosa toda essa complacência.



Confira:

 

Decálogo do juiz exemplar

 

Golpe é uma máquina do tempo que leva o Brasil de volta para o século XIX

 

Ciência do crime. Diálogo com Wadih Damous

 

O que é luta de classes

 

Aqui não se cultiva a arte de lamber saliva!

 

EUA devem indenizar países nos quais cometeu golpes de Estado e outros crimes

 

Revista Alfafa: Ladrão tem uma carreira política elogiável e merece Certificado de Beato.



Confira também:






Nenhum comentário:

Postar um comentário