segunda-feira, 18 de abril de 2016

Cunha agradece ao STF



Cunha agradece ao STF
Todo povo submetido à tirania tem direito à desobediência civil.

1. O grande capital adverte (mais uma vez): Não aceita nem mesmo a limitada “democracia formal burguesa”.
2. Ou seja, a democracia (mesmo a mais restrita) é incompatível com os “desígnios divinos” da plutocracia.
3. Rasgar a Constituição e mudar as regras do jogo a seu bel-prazer é expediente corriqueiro da alta burguesia tupiniquim, cujo controle do aparato repressivo do Estado, entre outros, permite: afastar a Presidenta legitimamente eleita, sem que esta tenha cometido crimes de responsabilidade; perseguir opositores políticos que não rezarem o catecismo neoliberal; manter o pagamento de centenas de bilhões de dólares, religiosamente, somente a título de juros, da sagrada e intocável dívida pública, a qual não pode ser jamais questionada e, muito menos, auditada;  afirmar que a profunda desigualdade social brasileira é “reflexo da meritocracia e da vontade de Deus”.
4. Eduardo Cunha é o preposto paradigmático para executar o programa do PCC – Primeiro Comando do Capital.
5. Corolário: Classes populares, se quiserem transformações de fato, estão cientes de que a Casa Grande não permitirá mudanças estruturais pela via eleitoral, cujos acanhados perímetros estão demarcados a ferro e fogo na História do Brasil.


Indicação de leitura

A Guerra de Yuan narra a história de um intrigante personagem do futuro e de um sombrio mundo de autômatos fortemente moldados e cerceados pelos meios de comunicação, cuja função massificadora é claramente ligada à concentração de um poder central nas mãos da Yuan-Mind, empresa que controla as engrenagens do mecanismo totalizante e esmagador de Yuan.




Nenhum comentário:

Postar um comentário