quarta-feira, 27 de março de 2013

Amizade


Amizade


Amigos / Amigas:
indispensáveis

Quando a noite caiu, Paulo perguntou se ao menos não existiria uma pessoa que pudesse ajudá-lo.

Sofrera bastante durante o dia.

Pela manhã, seu chefe ridicularizara suas habilidades.

Então, pensou em xingar o petulante. “Como alguém pode ser tão estúpido?”, indagou-se sobre a figura presunçosa.

Infelizmente, precisava comprar pão, arroz e carne para as crianças. Silenciou, engolindo em seco sua raiva. Socou a porta, que nada lhe fizera.

Feriu a mão, mas queria bater no patrão arrogante.

Murmurou algumas coisas inaudíveis e saiu apressado.

Na rua, um ladrão bateu sua carteira.

Ligou para a esposa, mas lembrou-se de que havia se separado de forma litigiosa há apenas um mês. Ela não atendeu. E ele achou melhor.

Sem dinheiro, caminhou na tarde gelada os nove quilômetros de volta para casa. Desprevenido, sem agasalho.

Ao anoitecer, sentou-se no banco da praça próximo de sua casa.

E rememorou tudo o que lhe acontecera durante o dia.

Desconsolado, praguejou a vida..

“Paulo, é você?”, perguntou uma voz familiar.

Paulo virou-se e abraçou fortemente seu amigo, Antônio.

Antônio é um amigo de todas as horas. E no momento exato, quando mais é indispensável, surge. Como se adivinhasse a necessidade do amigo.

Paulo sorriu abertamente, pois conhece um amigo que sempre aparece, independentemente de ser solicitado.


Leia também:

Velhice e a ironia da vida

Do que você se lembra?

A vida moderna

Desrespeito

O Tempo

Nenhum comentário:

Postar um comentário