quarta-feira, 23 de maio de 2012

Escárnios


Escárnios



1. Advogado acompanha Cachoeira à CPMI. O depoente cala-se olimpicamente. Parlamentares deitam falação a respeito da habilidade do patrono de Waterfall.  Qual é a origem do dinheiro que remunera o conhecido advogado? O ervanário tem explicação legal? Por que defensores de criminosos não precisam justificar a procedência dos recursos de seus clientes? Provenientes de extorsão, latrocínios e demais modalidades delituosas, a hipocrisia social pontifica ser um “direito do réu” a defesa, sem se importar se ela é produzida pelo escalpo dos desgraçados que apareceram no caminho do salteador. Em casos de crimes de colarinho branco, as vítimas podem alcançar dezenas de milhões de pessoas. Não importa! Traficantes e bandidos de todos os ramos da ilegalidade estão amparados pelo que subtraem dos trabalhadores. A Justiça brasileira dá àqueles que têm algibeiras fornidas tempo e impunidade; aos pobres, injustiça.

Caro(a) leitor(a), que tal enviar um e-mail a seu deputado/senador e dizer a ele para fazer um projeto de lei obrigando aos indiciados/processados a comprovação da origem lícita de seus recursos que justifiquem suas propriedades (e as que estiverem nas mãos de laranjas também) e suas despesas (incluindo advogados, a peso de ouro ou não).

2. Bancos não se contentam com spreads astronômicos, muito distantes daqueles cobrados em suas matrizes europeias ou dos EUA. Descontentes com a ação governamental para a redução dos juros, as instituições resolveram aplicar um tarifaço esterilizador da tímida queda de suas taxas de juros. Alguém já disse que mais criminoso do que assaltar um banco é ter sua carta patente. A usura largada à própria sanha não se contenta jamais. Historicamente o Estado brasileiro foi inerme aos descalabros praticados pelos executivos financeiros. Agora, o governo enfrenta a ganância desmesurada da banca.

Caro(a) leitor(a), que tal fechar a conta em bancos espoliadores à mancheia? Não podemos ficar inertes diante do desassombrado descaramento dessas instituições financeiras. Seu banco sabota o país? Reduza o espaço de ação dele. Não dê munição ao inimigo. Feche sua conta em instituições que desprezam o esforço da nação para civilizar-se.

3. A ditadura militar foi financiada por grandes empresas. Torturas, sevícias, assassinatos e a utilização de todo tipo de torpeza em larga escala. Alguns de seus participantes já declinaram até o nome dessas firmas e corporações: a Gasbras, a White Martins, a Itapemirim, o grupo Folha e o banco Sudameris, entre tantos outros.

Lembre-se: ao comprar produtos/serviços dessas empresas você estará corroborando cada uma das ações praticadas por elas. Pense bem!


Leia também:


Golpe de 1964 - O apoio da Rede Globo, da Folha de São Paulo, do Estadão (PIG)

Cachoeira na CPI: laços entre o crime e a direita política

Kucinski: 'Jorrou dinheiro empresarial à repressão política'

Moderno Dicionário Cachoeira

Veja: a Constituição Federal do PIG

Febraban e o cavalo doido

Nenhum comentário:

Postar um comentário