sábado, 10 de dezembro de 2011

Nota conjunta secreta dos senhores de bens (apenas para as famiglias): Pela volta da censura!



Nota conjunta secreta dos senhores de bens (apenas para as famiglias)
Pela volta da censura!




Quando elementos mal-intencionados abusam da liberdade e revelam os bastidores das negociatas de pessoas de bens, de passado maculado (mas quem não tem seus pecadilhos?) e, acima de tudo, nossos amigos, não podemos nos calar.

 Quem tem sangue de barata pode ficar inerte à escalada de blogueiros sujos e suas manias de contar aos quatro ventos o que nós fazemos em privado com o dinheiro público.

Agora, deram para bisbilhotar os recursos provenientes de offshores, em completo desvario da condição de servos que, por definição, não devem se intrometer nos assuntos dos senhores.

Sempre defendemos nossa liberdade de mercado e de manipulá-lo de acordo com as conveniências de momento. Não é sempre que doleiros hábeis ficam à disposição para internalizar e lavar aquilo que não teríamos explicação da origem.

Mas sempre tem um petista de plantão para criar problemas com nossas transações. E daí que elas são ilícitas? É para isso que temos advogados e gente de confiança no Supremo, para dar guarida às patranhas e maracutaias diversas que nossa imaginação cria e para que juízes confiáveis emitam habeas-corpus de madrugada, sempre que necessário.

As aleivosias de um jornalistinha vermelho foi a gota d’água para invocarmos o direito natural e sagrado de todas as oligarquias a mais estrita obediência aos seus desejos.

Considerando que tradicionalmente somos adeptos de Golpes de Estado e inventamos de forma rotineira muitos mares de lama para manchar e enxovalhar reputações alheias, não nos resta saída a não ser reimplantarmos a censura prévia em todos os meios de comunicação do país, uma vez que a coisa saiu de nosso controle e vozes dissonantes passaram a emitir opiniões que não servem aos nossos interesses.

Ontem mesmo, o indigitado, com farta documentação de nossas tramoias, publica impunemente em livro o que é o mais profundo exame de nosso modus operandi, com provas cabais que nem mesmo o PIG, com todo o seu poderio, conseguirá esconder.

Nossa imagem, arduamente produzida pela propaganda mais deslavada, está em colapso irreversível. Porém, como não há algo que Deus faça que o PIG não desfaça, os instrumentos não se esgotaram.

Em virtude do exposto, em reunião com as cúpulas do PIG, da TFP, do bispo de Guarulhos, dos bicudos e reacionários de todos os matizes, decidimos que o melhor para o país é a reintrodução de mecanismos de controle absoluto da informação e a prerrogativa para nossos censores de vetar todas e quaisquer palavras não autorizadas, bem como a articulação delas para nos constranger, mostrando nossas práticas sórdidas e lucrativas.

Remeteremos ao velho e bom pau-de-arara as figuras recalcitrantes, saudosos que estamos da gloriosa revolução de 1964.

Anauê!

Ps1.: Todas as nossas publicações estão terminantemente proibidas de fazer referências, mesmo negativas, ao livro Privataria Tucana, de Amaury Ribeiro Jr., uma vez que sabemos ser a alusão o bastante para aguçar a curiosidade de desocupados e potenciais leitores de tudo aquilo que devemos ocultar com todas as nossas forças.

Ps2.: Façam como nosso amigo careca, comprem todos os exemplares disponíveis nas livrarias e internet, assim impediremos que se alastre a divulgação de nossas trapaças.



A internet vai levar essa história para o mundo, quer o PIG queira ou não!


Nenhum comentário:

Postar um comentário