quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Lavanderia financeira e privataria tucana


Lavanderia financeira e privataria tucana


Mais uma história escondida pelo PIG

Lavanderia financeira
Não é de gente de bem
Quanto mais usa
Multiplica os bens
E o sujeito abusa
Posando de vestal
E só acredita nele
O indigente mental.


Os veículos de comunicação
Sabem que no Brasil faltam liberdades    
Por isso ocupam toda a grade
Com programas de futilidades
Quando alguém fala sério é desacreditado
Mas na capa de Veja o escroque
É homenageado
Posando de honrado.


Quando é importante
O povo não pode saber
O que não tem valor
Deve apenas entender,
Obedecer e comprar
O que o mercado determinar
Manipulando e organizando
Para no salário do povo avançar.


A vítima liga a televisão
No Jornal Nacional
E todo o dia é tratado de boçal
Fala de tudo o que não interessa
Mas da privataria tucana
Não fala nada
Protegendo a cumplicidade
Ao esconder a realidade.  


Mas o Amaury Ribeiro Jr.
É especialista
Escreveu Privataria Tucana
Obra documentada e vasta
Examina os artigos
Do Código Penal
E não se cansa de dizer
Que é golpe de profissional.


É Preciado, Ricardo Sérgio,
Verônica Serra e Daniel Dantas
E os caminhos subterrâneos
Pelos quais os pilantras
Surrupiam nossas riquezas
Transferidas para as contas
Dos Privatas do Caribe
Sem deixar de lado o dinheiro no cabide.


São bilhões que viajaram
Acobertados por trapaças
Pensaram que ninguém descobriria
Suas malfeitorias perfumadas
Os tiranos e as ricaças
Desfilando em Higienópolis despreocupados
Aparecendo em Castelo de Caras
O hipócrita e toda a famiglia dos degenerados.   


Mas vieram o Amaury,
Paulo Henrique Amorim
E os blogueiros sujos
Denunciaram o que o PIG
Tentou camuflar e esconder
Mas não tem crime perfeito
A internet serviu de transmissão
Para mostrar a quadrilha em ação.


Vamos todos divulgar
Aos quatro cantos do mundo
Em português, inglês,
Espanhol e mandarim,
Que a escola de corrupção tem pós-graduação
E os professores bicudos
São Phd em desvios de recursos públicos e troca de favores
Pretendem ser eternamente os mandantes e senhores.


Por isso reafirmo
Ideia correta e certeira
País sem Lei de Meios
É escravo de barão
Para cumprir o dever patético
E teleguiado em toda ocasião
Vira vaca de presépio, ingênuo útil
E otário de plantão.


Acorda, Brasil
Cobre a Justiça
Enquanto o batedor de carteira é torturado
O ladrão de colarinho branco
Não pode ser incomodado
O ministro do Supremo
Emite habeas corpus de madrugada
Para o delinquente não ficar desanimado.





Paulo Henrique Amorim entrevista autor do livro A Privataria Tucana



Nenhum comentário:

Postar um comentário