quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Papa e pedofilia


Papa e pedofilia




Mais do que explicar, Bento XVI deve agir para coibir a prática recorrente de pedofilia na Igreja que chefia.

Crianças são expostas à compulsão daqueles que supostamente deveriam oferecer “proteção espiritual”.

Meias-medidas, tergiversar e hesitar são estímulos e ampliam o espaço da ignomínia.

Chega de contemporizar!

Correta a medida da associação dos Estados Unidos, que reúne vítimas de padres pedófilos, de demandar junto ao Tribunal Penal Internacional contra Bento XVI e outros dirigentes da Igreja Católica, acusando-os de crime contra a humanidade.

Chega de passividade!

A Igreja Católica cometeu horrores com a Inquisição, seu terrorismo religioso. E continua a assombrar as pessoas com atos abomináveis.

Convenhamos, caso fosse qualquer pedófilo, não ligado à Igreja, ele seria condenado imediatamente. Por que tanta complacência com esses “instrutores de almas”?

Crimes comuns devem ser resolvidos nas Cortes judiciais, não em Concílios religiosos nos quais se afasta (quando isso ocorre) o criminoso para ele continuar seus métodos em outras paróquias.

Chega de condescendência!

Nenhum comentário:

Postar um comentário