sábado, 2 de julho de 2011

Transformações políticas



Transformações políticas





1. Mudanças geram resistências:

DEM entra com ação direta de inconstitucionalidade contra o Prouni.

PSDB e PIG torcem para impedir o acesso de camadas populares ao ensino superior.

E difamam ENEM para conduzir estudantes para as minas de ouro dos cursinhos pré-vestibulares.


2. As transformações ocorrem quando há organização para viabilizá-las:

Ficar chorando, sem nada fazer, prova que sabemos chorar.


3. Os portadores de interesses contrariados são os principais agentes para criar obstáculos:

Oligarquias têm asco de povo em aeroporto na condição de viajantes (entrada permitida apenas se for para fazer faxina e engraxar sapatos da elite). E em todos os locais que reflitam alguma mobilidade social ascendente das classes populares.


4. A desorganização impede conquistas sólidas:

Acreditar que o mundo vai trazer a paz e a justiça, sem que tenhamos de conquistá-las, é imaginar tolices em voz alta.

Seremos objeto de chacota.


5. As forças que reagem às mudanças estão em contradição com os setores que seriam beneficiados pelas alterações:

Corolário: quem acredita nas boas intenções do PIG, não sabe se defender, é doente da cabeça, dos pés, das mãos etc.


6. Quanto mais estiver envolvida a disputa de poder, mais necessário será mobilizar recursos materiais e humanos:

Não se vencem canhões com flores.


7. Aqueles que não lutam por seus interesses são alienados e apáticos:

E atrasam o combate dos que se engajam.


8. É preciso verificar a correlação de forças:

Porque corremos o risco de confundir um pequeno problema com um grande. E vice-versa.


9. Os avanços na sociedade podem chegar a impasses quando houver temas polêmicos:

Pior ainda é não discuti-los sob o pretexto de gerar indefinições.


10. A rapidez ou demora nas decisões dependem de circunstâncias favoráveis, maioria social e política, esgotamento de outras formas de negociação etc.

Quando não queremos lutar, a realidade eficaz estará ao lado de nossos adversários/inimigos.


11. As mudanças que permanecem em nossa cabeça, mas não invadem o mundo, não modificam a realidade:

Práxis é essencial.

O resto é conversa.







Vamos democratizar a comunicação:


Lei de Meios da Argentina pode nos ensinar muitas coisas.



http://www.infoleg.gov.ar/infolegInternet/anexos/155000-159999/158649/norma.htm



2 comentários:

  1. Cara muito bom é isso aí, não nos tornemos PSOL/PSTU, q vivem resmungando contra tudo, mas não movem uma palha e se juntam a direita contra o governo.Resultado, estão desmilinguindo, não representam ninguém,e não tem projeto, a não ser o mimimi contra o governo.

    ResponderExcluir
  2. Boa, todos os dias é mister fomentar a crítica a esse sistema corrupto e propagador de desigualdade social, sou séquito de seus ideais.

    ResponderExcluir