sexta-feira, 29 de julho de 2011

Exame


Exame



Aluno: Pô, professor! Por que o sr. me deixou por um ponto?

Professor: Por que eu deixei?

Aluno: Claro! O que custa, professor? Pra você isso não é nada!

Professor: Estude, meu caro.

Aluno: Nada a ver. Olha aqui... isso é uma injustiça!

Professor: Estude, rapaz. Sua prova é daqui a duas semanas. A matéria é a do semestre.

Aluno: Professor, para com isso. Vamos ver se a gente pode fazer um acerto.

Professor: Acerto?

Aluno: É. Ninguém precisa ficar sabendo.

Professor: Não?

Aluno: Não! R$ 50 paus, resolve?

Professor: Hem?

Aluno: Tá bom, R$ 100 paus. Ninguém vai saber.

Professor: Mas você já contou para quem nunca deveria saber dessa conversa.

Aluno: Que é isso, professor? Só o sr. tá sabendo.

Professor: Pois é, eu nunca deveria saber dessa conversa.

Aluno: Qual é, professor? Um dinheirinho sempre é bão.

Professor: Isso é suborno!

Aluno: Prô, pra que essa dureza em seu coração? O que o sr. ganha com isso? Só aborrecimentos... Além do mais, suborno é uma palavra pesada.

Professor: Estude, garoto.

Aluno: Mas isso é uma injustiça.

Professor: Por que você não faz como a Sílvia?

Aluno: O que tem a Sílvia a ver? Ela só tira dez.

Professor: Exatamente.

Aluno: Não tô entendendo.

Professor: Estude, obtenha sua nota e pare de interromper o meu trabalho fora de hora.

Aluno: Eu não acredito. A Sílvia é a maior CDF.

Professor: Ao contrário. CDF é você!

Aluno: Por quê?

Professor: Porque você vai ficar mais duas semanas sentado na cadeira da escola. A Sílvia e os demais estão de férias há uma semana.

Aluno: Nada a ver. Cê tá de brincadeira comigo, não tá? É só um pontinho e o mundo não vai mudar de lugar por causa disso.

Professor: É verdade.

Aluno: Além do mais, eu não vou precisar de sua matéria pra nada. Pra que ela serve?

Professor: Nós tratamos disso o semestre todo. Venha às aulas preparatórias para o exame.

Aluno: Não. Não serve para nada! Nunca vai servir!

Professor: Quando você amadurecer vai saber a importância... Agora você precisa. Estude!

Aluno: Não tem jeito não, professor?

Professor: Até mais, rapaz.

Aluno: Caramba, Prô! Eu já tô em mais seis matérias.


Roberto, o aluno, acorda de seu sonho. Suado, procura se recompor. Seu ensaio onírico de obter a concessão de um ponto e deixar de ir para exame naquela disciplina não acabou como pretendia.


Aluno: Tem nada não. Vamos tentar... Quem sabe se eu falar que...


2 comentários:

  1. Nossa Agenor vi muito isso na facul !!! Eu prefiro estudar ou então ficar em DP do que enxer o professor com essa bobagem. Fiquei de DP e não me arrependo, nós amadurecemos muito !!!

    ResponderExcluir
  2. Meu primeiro exame na faculdade foi de filosofia, e quem era o professor? Agenor.
    Lembro como se fosse hoje, suava, tremia e estava apavorado, resultado, fiquei de exame, não é que eu não entendia, o problema era que não conseguia expor com clareza os meus argumentos, pois embaraçava tudo, entendia, mas não explicava.
    Hoje, até tento explicar alguma coisa, mas só porque tive bons professores que me mostraram que eu posso, quando realmente eu quero.
    Exame é uma exigência da instituição, sabedoria deve ser uma exigência dos alunos, mas para isso acontecer, o aluno deve querer.

    ResponderExcluir