sexta-feira, 24 de junho de 2011

Tucano é um partido abacaxi



Tucano é um partido abacaxi




Tucano é uma ave de rapina.
Isso nós já sabíamos.
A novidade é sua transformação em abacaxi.
Seus integrantes ora estão envolvidos com batinas inquisitoriais, TFP, neonazistas e reacionários diversos...
Depois, são flagrados conduzindo embriagados veículos de alto luxo e preços nada módicos, obtidos sabe-se lá como...
Logo, pedem para esquecer o que escreveram, ficam ressentidos no ostracismo, pedem a regulamentação da maconha...


Mas nada de dizer sobre a exploração do trabalho, a ausência de reforma agrária, a desigualdade social e demais mazelas histórico-sociais que auxiliaram, consolidaram ou construíram.
Como ocorreram as privatizações? Elas não abateriam a dívida pública? Por que esta decuplicou? E o patrimônio público evaporou?
Ciosos de CPI pra lá e pra cá. Exceto em São Paulo, por exemplo, cuja censura bicuda impede há anos investigações de pelo menos 100 (cem) CPIs.
Entretanto, os doutos tucanos afirmam: “Não há o que investigar. Sem CPIs.”


Apesar do intenso apoio do PIG (Partido da Imprensa Golpista), a decadência evidente do bico se faz notar mesmo pelos mais alienados.
Os elementos da cúpula de alta plumagem, a despeito de suas supostas sapiências, não cansam de meter os pés pelas mãos.
Essas pessoas não têm instinto de sobrevivência ou são muito ignorantes?
Além disso, as prepotências os inebriam.
Os caciques parecem estar ávidos por caminhar em direção ao ostracismo, lugar cuja intimidade passaram a ser experts.
Juntos, PIG e bicudos têm, ainda, muito poder e sobra desorientação.
Receita para o desastre das oligarquias nostálgicas dos 500 anos de poder no plano federal, há pouco mais de 8 anos interrompidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário