quarta-feira, 29 de junho de 2011

Privatização esportiva do dinheiro público



Privatização esportiva do dinheiro público


Você também está feliz com a conta que esse pessoal deixou para nós?



Privatização esportiva do dinheiro público


Todos os amantes da bola gostam de um bom futebol.
Mais ainda do fato de o Brasil sediar a Copa do Mundo 2014
Para o evento ser coroado de brilho, arenas esportivas estão sendo demolidas, reformadas, construídas etc.
Entretanto, no meio do caminho há caminhões de pedras.

Despudoradamente, avançam em dinheiro público.
Isenções e genuflexões à mancheias para “cumprir os compromissos do país”.
A iniciativa privada comparece com a mão estendida para sorver bilhões de reais do distinto público.
O popular Corinthians, de torcida fiel, será agraciado com pelo menos R$ 420 milhões de renúncia fiscal da Prefeitura de São Paulo, sob a alegação de levantar o estádio Fielzão.

As igrejas gozam de isenção para confortar seus rebanhos.
Pela mesma lógica, os clubes devem receber os mesmos benefícios, pois cumprem o papel de entreter e alienar os torcedores.
Assim como no caso das casas de oração, prestam relevantes serviços ao poder, impedindo as pessoas de tomarem consciência de seus reais problemas.

Alguns chegam a afirmar que a remuneração dos cartolas, bispos etc. tem um custo irrisório, dada a conveniência do efeito letárgico de suas atividades sobre os que as acompanham.
Digamos que ambos os negócios sejam apropriados ao poder.
Como não há almoço grátis, tampouco hipnose sem cobrar.

Talvez sejamos rigorosos demais.
Afinal, as pessoas precisam de anestésicos para suportar as dores da vida, como assinalou o Dr. Freud.
Nenhum problema com lenitivos.
Minha contrariedade é que isso seja financiado/subvencionado com dinheiro público.

As igrejas/clubes são empresas.
Vendem camisetas, chaveiros, revistas, livros, jornais, CDs, DVDs etc.
A preços nada módicos.
Não quero vasculhar os livros contábeis deles, mesmo porque lá não encontrarei a verdade.
Penso apenas que a educação, a saúde, a habitação etc. também necessitam, e com mais urgência, a alocação de recursos para suprir enormes demandas.




Andrés Sanchez chama Globo de gângster


Andrés Sanchez representa os interesses do clube que preside.

Nós devemos lutar pelos nossos próprios interesses.

E o interesse público está em contradição com o privado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário