sexta-feira, 3 de junho de 2011

Brasil sem miséria e sem canalhas





Brasil sem miséria e sem canalhas





Brasil sem miséria precisa de um Brasil sem canalhas.
Os canalhas produzem miséria econômica, política, social etc.
Eles obrigam a fazer cada vez mais concessões aos glutões;
Estes fabricam e ignoram os grotões.

Mas a realpolitik ordena que a militância deva carregar o piano,
Varrer o chão e lavar a latrina;
Ser submissa e suportar as agruras com perseverança,
Como se estivéssemos numa instituição fundamentalista.

Os “puros”, afirmam os cultores de personalidades, “podem pôr tudo a perder”
Com sua mania obsessiva de questionar “ao invés de se submeter” aos sábios stalinistas.
“Não podem fazer o jogo da mídia.”
Mas devem obedecer as ciladas dos comandantes sem povo e ilegítimos.

Personas non gratas, ironicamente, recebem solidariedade.
Mas aqueles que lutam pela justiça e transformações sociais
Recebem a alcunha de “traidores e ignorantes” da realidade.
Interessantes os malabarismos dos defensores da realpolitik.

Os transgressores mudaram a realidade porque fizeram ouvidos moucos aos maestros da mesmice.
Os capachos, prontos a enaltecer quaisquer murmúrios dos poderosos,
Estão distribuídos fartamente por todos os lugares.
A satisfação de serem acólitos e aduladores parece ser a razão de sua existência.

Cada um escolhe para si como viver.
Mas não pode determinar aos demais a servilidade que lhe cabe tão bem.
Aliás, talvez percebam com o tempo que todo seu trabalho de apoio cego
Caberia melhor dentro de bulas papais e suas “santas” inquisições.


Nenhum comentário:

Postar um comentário