terça-feira, 24 de maio de 2011

Reinventar a roda



Reinventar a roda



A petulância tinha contribuição da idade.
No entanto, daquela vez ele se superara.
Nada estava certo.
E o mundo deveria passar por reconstrução total.

Quando lhe disseram que muitas de suas ideias eram de outros,
Deu de ombros, guardando assombro e desconfiança em seu olhar.
Rejeitava padrões alheios,
Interpretando que os únicos caminhos existentes eram os próprios.

Como pregador do mundo,
Avisava sobre supostas novidades.
Não encontrando eco,
Desfigurava a realidade que o contradizia.

Certa vez quis reinventar a roda.
Diante de observações de que era melhor aperfeiçoá-la,
Contrariado, assumiu ar ranzinza e de poucos amigos,
Conforme relato dos circunstantes.

Hoje, passados apenas três anos, discursa em praça pública.
Traja mulambos e carrega firmemente em suas mão uma roda de bicicleta,
Acompanhada de uma tabuleta com a inscrição:
"Eu inventei a roda!"



Nenhum comentário:

Postar um comentário