sexta-feira, 25 de junho de 2010

Desempregado no governo FHC

Registro histórico: o contexto em que vivemos produz nossas formas de pensar sobre a realidade.

Num período recente, ouvimos que aposentados eram "vagabundos"; que havia milhões de "inempregáveis".

Por isso, deixo aqui uma reflexão a respeito do desemprego na época do império do FHC.

Desempregado

Merece viver quem não é explorável pela Sociedade Anônima?

Merece viver quem procura o que se torna cada vez mais escasso?

Sobra, dejeto, imbecil!

Não procure, não perturbe, não amole.

Finalmente encontrou ocupação

Procurar emprego é a sua profissão.

Se manca, se toca;

Você é o único responsável por sua inutilidade,

Desempregado, não há vaga na modernidade.

Vai logo encomendando o seu caixão,

Desgraçado, celerado,

Até para morrer

É um peso social. Infernal!

FMI, Banco Mundial...

O deus é o Capital

Isenção, subvenção, doação, genuflexão para o conglomerado

Porrada para o desempregado.

Nossa complacência nos obriga,

Bilhete só de ida

É a solução final,

Tá acabado:

Overdose pro desempregado!

Vai logo encomendando o seu caixão,

Desgraçado, celerado,

Até para morrer

É um peso social. Infernal!

Nenhum comentário:

Postar um comentário